A ORAÇÃO É O ALIMENTO DA VOCAÇÃO


Você está em - Home - Entrevistas - A ORAÇÃO É O ALIMENTO DA VOCAÇÃO

Conheça um pouco da caminhada do frater Alisson Gonçalves, natural de Belém do Pará. Atualmente cursando o primeiro ano de teologia na PUC de Londrina, no Paraná, fez sua profissão religiosa em janeiro deste ano. Sua caminhada iniciou na capital paraense, onde ingressou no Seminário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, cursando no ano seguinte a filosofia no Instituto Dom Vicente Zico (PIO X). Fez seu noviciado em 2015 no Seminário Santa Terezinha, em Tietê (SP).

Confira a entrevista ao Evocacionado feita pelo seminarista Genildo Júnior.

Evocacionado: Como conheceu a congregação?

Frater: Eu conheci a congregação quando frequentava as novenas de Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro em Belém do Pará. Certo dia, falei com o padre Benedito Chaves sobre os encontros vocacionais que eu havia feito na Arquidiocese de Belém, porém tive receio de ingressar para a etapa de formação, além de não me sentir chamado à vida diocesana. A partir da minha partilha com o padre redentorista, fui convidado por ele a fazer a experiência dos encontros vocacionais com os padres da Congregação do Santíssimo Redentor, a qual aceitei, mesmo que meio temerário.   

E: Quais as motivações para seres redentorista?

F: A possibilidade de anunciar o Redentor, por meio de uma vida integral de doação, àqueles mais necessitados de quem o Evangelho tanto fala. A vida comunitária é outro fator preponderante na opção pela vida religiosa consagrada, pois Deus sempre escolheu uma comunidade para manifestar-se e dar-se a conhecer ao mundo. Nela há o intercâmbio de dons por parte de seus membros, de modo que o ser de cada um enriquece e promove a comunidade.

E: Quais os principais desafios da caminhada vocacional?

F: Essa pergunta é bastante relativa e pessoal, mas a partir da minha experiência, posso dizer que é a busca constante de superação de si mesmo, de não se deixar contagiar pelo medo e pelo desânimo quando tudo parece desmoronar. Encarar todos os eventos que nos ocorrem como uma oportunidade de crescimento. É necessário fortalecer a confiança em Deus, em si próprio e na comunidade.

E: Quais tuas principais experiências já vividas?

F: A própria vivência comunitária é uma novidade para todos que saem de suas casas, porque passam a conviver com pessoas totalmente diferentes daquelas com quem se convivia no ambiente familiar. A experiência da missão é outro ponto que ressalto pelo desafio que se nos apresenta, mas ao mesmo tempo, essa experiência nos abre horizontes até então inimagináveis de conhecimento do exercício da missão e da possibilidade de execução e aplicação disso em outras frentes de trabalho.

E: Como um jovem pode discernir sua vocação?

F: Sentindo as necessidades de que a comunidade precisa, de modo a ordenar sua vida para a consecução de tal fim.

E: Qual a mensagem para os vocacionados redentoristas?

F: Alimentem diariamente suas vidas com a oração, com a leitura bíblica, busquem os sacramentos. Mantenham sempre vivas as chamas do Espírito que Deus incutiu em vocês, vivendo a plenitude da Lei e dos Profetas: o AMOR, a virtude das virtudes por excelência. Mas que seja vivido em palavras e atos concretos.