Redentorista celebraram no último sábado, 26, a memória do padre Gaspar Stanggassinger.


Você está em - Home - Notícias - Redentorista celebraram no último sábado, 26, a memória do padre Gaspar Stanggassinger.

Redentoristas celebram festa do Beato Gaspar Stanggassinger 

Neste sábado, 26 de setembro, a Congregação do Santíssimo Redentor recorda a memória do Missionário Redentorista, padre Gaspar Stanggassinger.

Padre Gaspar foi uma pessoa alegre, bondosa, espelho do grande amor de Deus. Morreu jovem, com apenas 28 anos, quatro anos depois de ter sido ordenado padre. 

O missionário foi proclamado beato pelo Papa João Paulo II no dia 24 de abril de 1988.

"Os santos têm intuições especiais”, escrevia Stanggassinger. Mas o que é importante para mim, que não sou um santo, são simplesmente as verdades eternas: A Encarnação, a Redenção e a Santíssima Eucaristia. Gaspar Stanggassinger nasceu em 1871 em Berchtesgade, no sul da Alemanha. Foi o segundo filho entre 12 irmãos.O pai dele, respeitado por todos, era camponês e possuiu uma pedreira.

Desde menino desejava ser padre. Nos anos de infância, Gaspar gostava de brincar de ser padre; pregava curtos sermões a seus irmãos e irmãs; os levava até mesmo em procissão para uma capela na montanha não muito distante de sua casa. Aos 10 anos foi para Freising continuar os seus estudos, que achava particularmente difíceis. Mas seu pai o tinha advertido que, se não passasse nos exames, ele deveria abandonar a escola. À força de vontade, com grande aplicação e fidelidade na oração, fez constantes progressos.

Nos anos seguintes, durante as férias juntou-se a grupos de jovens, que ele afervorava na vida cristã, animava-os a formar entre eles um grupo e os ajudava a organizar seu tempo livre. Diariamente o grupo assistia a missa, eles faziam viagens ou peregrinações. Gaspar era muito dedicado a eles e até mesmo, em uma ocasião, ele correu risco de vida para salvar um companheiro durante a escalada na montanha. Ele entrou para o seminário diocesano de Munique e Frising em 1890 para começar os estudos de teologia.

Para descobrir melhor a vontade de Deus se entregou a um rigoroso programa de oração. Bem depressa viu claramente que o Senhor o chamava a viver sua vocação como religioso. Depois de uma visita aos redentoristas, sentiu o desejo de seguir a vocação deles como missionário. Apesar da oposição de seu pai, entrou para o noviciado redentorista em Gars em 1892 e foi ordenado sacerdote em Regensburg em 1895. Gaspar Stanggassinger entrou na Congregação do Santíssimo Redentor para ser missionário, mas os seus superiores o destinaram à formação de futuros missionários, como vice-diretor do pequeno seminário de Dürenberg, nas proximidades de Hallein. Dedicou-se completamente ao que lhe tinha sido recomendado.

Como religioso, tinham feito o voto de obediência e isto ele o viveu de um modo claro e constante. Toda semana, durante 28 horas, dava suas aulas, mas sempre estava disponível para a mocidade. Nos domingos ajudava nas igrejas das cidades vizinhas, sobretudo pregando. Apesar deste programa de trabalho, estava sempre disponível de um modo paciente e compreensivo para ajudar as necessidades do outro, principalmente dos estudantes que viam nele mais um amigo que um superior.

Embora o regulamento de formação fosse muito rigoroso, Gaspar nunca se comportou com dureza; Pe. Gaspar tinha sempre o sentimento de ter podido ofender alguém e por isso se desculpava com humildade. Profundamente devoto do Senhor e do Sacramento da Eucaristia, convidava em suas pregações o povo e, em especial a juventude, a recorrerem ao Santíssimo Sacramento nos momentos de necessidade ou de dúvida. Animava-os a irem até o Cristo para o adorar e falar com Ele como a um amigo.

Freqüentemente recomendava aos fiéis que levassem muito a sério a vida cristã, que crescessem na fé mediante a oração e por meio de uma conversão contínua. O estilo dele era direto e convincente, sem ameaças de castigos, em contraste com o que era habitual nas pregações de seu tempo. Em 1899, os redentoristas abriram um seminário novo em Gars. O Padre Gaspar Stanggassinger foi nomeado seu Diretor. Ele estava então com 28 anos. Ele teve apenas o tempo de pregar um retiro para os estudantes e de participar na abertura do ano escolar.

No dia 26 de setembro de 1899, sua peregrinação terrestre chegou ao fim por causa de uma peritonite. A causa de sua canonização começou em 1935 com a transferência de seus restos para a capela lateral da igreja de Gars. Foi proclamado Beato pelo Papa João Paulo II no dia 24 de abril de 1988.

Capela onde estão os restos mortais do Beato Gaspar, na Alemanha

Em 1935, a Congregação do Santíssimo Redentor começou a sua causa de canonização e, no dia 24 de abril de 1988, Stanggassinger foi proclamado beato pelo Santo Padre, o Papa João Paulo II.

- Nasceu em 1871, Berchtersgaden, Sul da Alemanha
- Entrou para no seminário de Munique e Freising em 1890
- Entrou para o noviciado redentorista de Gars em 1892
- Ordenado sacerdote, em Regensburg, no ano de 1895
- Faleceu no dia 26 de setembro de 1899
- No dia 24 de abril de 1988 foi proclamado beato pelo Santo Padre, o Papa João Paulo II.



Texto: Portal A12 (Aparecida)