40 jovens participam de Retiro Espiritual da Juventude Missionária Redentorista do Pará (JUMIRE)


Você está em - Home - Notícias - 40 jovens participam de Retiro Espiritual da Juventude Missionária Redentorista do Pará (JUMIRE)

JUMIRE Pará faz retiro espiritual na quaresma


 

No último final de semana, cerca de 40 jovens participaram do Retiro Espiritual da Juventude Missionária Redentorista do Pará (JUMIRE), buscando o fortalecimento para mais um ano de caminhada, mantendo viva a espiritualidade do grupo que foi fundado em 2013 na capital do Estado do Pará.

A programação realizada no Sítio São Clemente, no município de Ananideua/PA, foi motivada pelo tema: “Jovens Misericordiosos”. A assessoria foi dos Missionários Redentoristas da Província de Porto Alegre – Padre Ezequiel Bridi, Padre Ivair Nascimento e Padre Benedito Chaves. O seminarista Joelson Abreu também contribuiu na exposição sobre a temática da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016.

Celebrações eucarísticas, reflexões bíblicas, leitura orante da palavra, depoimentos de vida em grupo, adoração ao Santíssimo Sacramento, confissões e celebração penitencial marcaram os dias 12, 13 e 14 de fevereiro. Esta é a quarta edição do retiro que mobiliza participantes das comunidades dos bairros do Barreiro e Telégrafo, em Belém.

Segundo o padre Ezequiel Bridi, o retiro é o melhor momento para renovar todo o sentido da caminhada. “É preciso ter este encontro longe do movimento natural do dia-dia, criando um ambiente favorável para o exame de consciência, o pedido de perdão e a conversão que permite seguir firme a caminhada enquanto jovens cristãos”, disse o religioso.

Os seminaristas que ingressaram no Seminário Redentorista de Belém este ano já participaram do retiro, além dos quatro jovens que seguirão na próxima semana para o postulantado em Porto Alegre/RS.

MISERICÓRDIA

A reflexão feita pelo Missionário Redentorista, padre Benedito Chaves, destacou a necessidade da compreensão plena do outro, sem olhar prioritário para seus defeitos ou fragilidades, mas pelo ângulo do Pai. Como trecho provocativo, foi utilizada a parábola do filho pródigo, motivando algumas interpretações sobre os dois filhos e seus comportamentos.

“Todos temos um pouco dos dois filhos, mas o importante é reconhecer em que precisamos cotidianamente mudar. Ser misericordioso é amar. Nós precisamos definir que isto só é de fato real quando amamos o desconhecido, aquilo que não é parte conhecida de nós, aqueles que talvez não aceitasse tanto – daí é o sentido de amar como o Pai”, destacou padre Benedito.