JOVENS, CORAGEM!


Você está em - Home - Entrevistas - JOVENS, CORAGEM!

"Jovens, coragem! Não tenham medo de responder ao chamado de Deus" 

Frater Júlio e demais confrades da comunidade formativa

O frater Julio Nascimento é natural de Salinópolis (PA), tendo ingressado na Congregação Redentorista através da Província de Porto Alegre em 2012. Está na etapa do juniorato, onde os jovens cursam a Teologia e já contam com os votos temporários.

Um jovem dinâmico, cheio de alegria e boas relações. Tem uma experiência pastoral fortalecida pelo trabalho com jovens e grande envolvimento nas comunidades paroquiais. Atualmente, reside em Londrina (PR), onde cursa o 2º ano de Teologia na Pontifícia Universidade Católica (PUC).

Leia a entrevista concedida ao Evocacionado:

Como Conheceu a Congregação?

R- Eu conheci a congregação Redentorista em 2004, através do Pe. Márcio Amoras, meu conterrâneo, meses antes dele ordenar o padre Benedito Chaves foi a minha cidade fazer uma animação vocacional.

Quais as motivações que me levaram a ser redentorista?

R- Quando o padre Benedito e os seminaristas, foram realizar a animação vocacional em outubro de 2004 em Salinópolis-PA, eu percebi que havia neles algo diferente, um jeito de ser bem mais alegre e divertidos, as músicas animadas, jeito simples de conversar sobre vocação, criativos e contagiante, nossa! Muito bom. Naquele dia eu me apaixonei pelo carisma missionário redentorista.

Em 2005 comecei os encontros de discernimento vocacional, nesse ano fui morar em Belém, capital do estado. Em 2006 voltei para minha cidade, e perdi o contato com os redentoristas. Do ano de 2009-2011 fiz uma experiência diocesana, na Diocese de Castanhal. Retomei o contato com os missionários em 2011, novamente com o pe. Marcio Amoras (Pároco do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) e Benedito (Animador Vocacional), essa dupla fez muito pelo meu discernimento vocacional, serei eternamente grato a esses dois padres. Depois de um diálogo que durou acredito de um ano e muito discernimento, sai do seminário diocesano e entrei no seminário dos redentoristas em Belém. Em 2012 ingressei na formação redentorista tendo como formador Pe. Ezequiel e o sócio Pe. Hélio.

Quais os principais desafios da caminhada?

R- Tive muitos, mas o que achei mais difícil, foi a mudança de seminário, não em relação ao seminário, mas eu fiquei pensando, como vou dizer para meus pais que eu sair da diocese para ir para os missionários redentoristas, nossa foi muito dolorido, ao ponto do meu pai dizer “se você não quiser voltar, não precisa viu”, só que eles nunca foram contra minha vocação, ao contrário sempre me apoiaram e me apoiam até hoje, mas o desejo de ser missionário redentorista era latente em meu coração. Outra foi ter que sair do meu estado, fui para Minas Gerais fazer um ano de pré-noviciado e experiência que mais me marcou foi ficar um mês sem o contato com minha família e amigos, chamada de deserto, o deserto acontece em agosto no meio da formação, acredito que cresci muito nesse único mês. Mas os desafios são bons, eles nos ajudam a madurecer, a tornar mais sólida a vocação a que somos chamados.

Quais as suas principais experiências já vividass?

R- Foi iniciar a JUMIRE (Juventude Missionaria Redentorista) em Belém, foi uma experiência muito boa, se eu pudesse faria tudo de novo. Depois as mudanças de comunidades, Minas, São Paulo e agora Paraná, já transitei em três províncias diferentes fora a minha, e tem sido maravilhoso, nesses tempos tenho tido o prazer de conhecer pessoas maravilhosas, confrades com quem posso contar sempre, sem falar na rica cultura de cada estado. Outra experiência é a do noviciado, um ano muito bom, que foi vivido com intensidade, tivemos nossos desafios e alegrias durante o noviciado, cultivamos amizades que levarei durante toda a minha vida. As pequenas missões também tem sido experiências maravilhosas, já participei de algumas e sair ao encontro do outro nos torna ainda mais humanos.

Como um jovem pode discernir a sua vocação?

R- Um adolescente, um jovem, um adulto discerne sua vocação com o joelho no chão, através da oração, é Deus quem chama, nós só damos a resposta. Um orientador espiritual é muito importante para qualquer tomada de decisão. Então são essas duas palavrinhas que destaco para discernir bem sua vocação, oração e um orientador espiritual.

Qual mensagem para os vocacionados redentoristas?

R- Jovens coragem! Não tenham medo de responder ao chamado de Deus. A vocação é um mistério que aos poucos vamos discernindo e assim como Jesus em Mc 3,16-19, chama os doze, ele conta contigo agora, para estar com Ele.

 

E VOCÊ? JÁ DISCERNIU SUA VOCAÇÃO?

FALE CONOSCO E SEJA ACOMPANHADO POR NOSSA EQUIPE DE PROMOÇÃO VOCACIONAL

O REDENTOR TE CHAMA PELO NOME!